A participação da Pastora Romi Bencke no texto-base da Campanha da Fraternidade deste ano repercutiu de forma negativa na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. O entendimento é que a abordagem de temas como aborto e orientação sexual vai contra os princípios da IECLB. O vice-presidente da Associação Luteranos Herdeiros de Worms, Pastor Ademir Kreutzfeld, concedeu entrevista ao Programa Encontro Maior da Rádio do Vale e explicou que a pastora estaria infiltrando ensinamento de ideologia marxista comunista na Igreja.

Ouça a entrevista

O Pastor ainda reforçou que o principal objetivo da associação é evitar que as Igrejas se tornem palanques políticos. Ele salientou que quer se resgatar a fé e os pilares da Reforma Luterana.

Há o entendimento de que o cunho político no texto-base da Campanha da Fraternidade fica explícito na crítica a atuação do Governo Federal no combate à Covid-19.

Durante a entrevista, o Pastor Ademir Kreutzfeld também explicou a origem do nome da Associação Luteranos Herdeiros de Worms.///GL

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here