Estrela está realizando investimentos em recursos tecnológicos nas escolas municipais. A secretaria de Educação de Estrela recebeu, nesta quinta-feira (16), os primeiros 330 chromebooks, computadores portáteis com sistema operacional especial que integrarão os laboratórios móveis e também portáteis de tecnologia de todas as 21 escolas da rede municipal. Outros 300 computadores devem chegar nos próximos dias, assim como demais aparelhos que irão compor estes novos espaços. Os investimentos totais superam os R$ 3,2 milhões.

A proposta da Smed é equipar laboratórios tecnológicos portáteis que auxiliem no processo educacional das crianças e jovens. Estes laboratórios móveis contarão com computadores, tablet’s e telas de projeção, conectados à internet. A titular da Smed, Elisângela Mendes, explica. “Nosso objetivo é, ao invés de ter uma única sala equipada com computadores e outros recursos, montar estes laboratórios que possam se deslocar pela escola conforme a demanda. Quando necessário ser utilizado por uma turma, este vai ser requisitado e irá ao encontro dos alunos”, explica. “Cada aluno na sala terá seu chromebook, a professora também o seu. Todos estarão conectados a um projetor led, no caso uma smart TV, que servirá para a orientação geral de todos”, destaca. “Nossa meta é estimular a interatividade e o conhecimento dos nossos alunos através de aplicativos e ferramentas, no que há de mais moderno já em uso, e não deixam de ser elementos já comuns à maioria dos nossos alunos e uma demanda que já é natural por parte dessa nova geração. Precisamos sim é acompanhar esta evolução”, frisa. Para o prefeito Elmar Schneider, Estrela está dando continuidade a uma certeza. “Investir em educação não é gasto. A tecnologia veio para mudar o mundo e tê-la como aliada é trazer para o presente o futuro, e assim promover, propor desde já, hoje, um amanhã melhor”, pontua.

Inclusão digital e social

Cada uma das nove Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) terá ao menos um laboratório portátil. As duas maiores – Emef Leo Joas e Odilo Afonso Thomé, por terem mais alunos, irão dispor de dois. Da mesma forma, todas as 13 Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis) irão também contar com ao menos um laboratório. A diferença é que, ao invés de chromebooks, os alunos irão utilizar tablets. “São crianças. Precisam dispor de aparelhos mais leves, simples, mas também bastante avançados quando o quesito é facilitar o aprendizado com o que há de mais moderno”, ressalta. Estes foram orçados em mais de R$ 300 mil e devem chegar dentro de 15 dias.

Os primeiros 300 chromebooks, ao investimento superior de R$ 1 milhão, chegaram e já estão sendo distribuídos de forma pontual e estratégica. Outras 330, ao custo de R$ 1,2 milhão (com mais recursos), devem chegar nos próximos dias. Estes ficarão a cargo dos professores.

Além dos chromebooks e tablets, serão 150 telas de projeção – Smart TV – que também equiparão estes laboratórios. Todas permitirão a conexão e a interatividade com o que está sendo passado nos computadores dos alunos. O investimento supera os R$ 450 mil. O conjunto de aparelhos dos laboratórios portáteis ficarão guardados em móveis especiais e adaptados para isso e seu deslocamento entre os ambientes, como também com recursos de segurança. Para Sabrina Scheer dos Santos, a diretora da Emef Ruth Markus Huber, onde os aparelhos já foram testados.

OUÇA A MATÉRIA DE JÚLIO CÉSAR LENHARD

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here