O chefe do executivo de Lajeado deixou clara a sua posição quanto a privatização da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), entrevista na manhã desta terça-feira (23), no programa realidade da Rádio do Vale AM 820. 
Marcelo Caumo afirmou que Lajeado não tem interesse em seguir adiante com o contrato que tem com a Corsan, se a empresa estatal permanecer pública. “O fato é que do jeito que está não pode permanecer, se a Corsan permanecer pública vamos fazer todos os esforços para romper o contrato”, afirmou o prefeito.
O mandatário afirmou que o saneamento é uma das principais preocupações e tem muito a melhorar ainda na cidade, sendo que os serviços estão deixando a desejar da forma que estão. Ele disse ainda, aqui em caso de privatização a Corsan terá preferência e vantagens por já estar realizando o serviço e o contrato pode continuar. “Em caso de privatização da Corsan podemos continuar e certamente a empresa vai ter vantagens e preferência pois tem contrato conosco, desde que cumpra as nossas exigências, caso contrário se abre uma licitação e obviamente a própria Corsan pode participar dessa licitação posteriormente também”, explica Caumo.
A Assembleia Legislativa do RS aprovou em agosto o projeto que autoriza a privatização Corsan. O leilão de ações deve acontecer até fevereiro de 2022. O governo gaúcho justifica privatização citando metas do marco regulatório do saneamento e a alegada incapacidade da gestão pública em cumprir os índices. Porém o sim de água e alguns municípios manifestaram contrariedade e querem ter voz ativa na decisão. 


Texto: Júlio César Lenhard

OUÇA A MATÉRIA DE JÚLIO CÉSAR LENHARD

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here