sexta-feira, janeiro 28, 2022
Home Blog

Elena da Padilha atende ouvintes da Rádio do Vale

0
Foto: Luan dos Santos

Ouça a participação

O ouvinte da Rádio do Vale pode acompanhar a participação da vidente e umbandista Elena da Padilha, que respondeu perguntas dos ouvintes na manhã desta quinta-feira. As perguntas podem ser encaminhadas por ligação para o 3712-1259 ou por WhatsApp para o 9 9891-0820. Lembrando que são necessárias as informações completas de nome, bairro e cidade onde reside, data de nascimento, a pergunta e um nome fictício, para que a Elena da Padilha não lhe identifique no ar.

Prefeito afirma que produtores de Colinas estão esgotados mentalmente

0
Fotos: Luan dos Santos

Não bastasse uma das piores estiagens registradas nas últimas décadas, problemas com o fornecimento de energia elétrica ampliaram os prejuízos dos produtores rurais do Vale do Taquari. Em Colinas, agricultores chegaram a ficar mais de 50 horas sem luz. Houve mortandade de frangos e redução na produção de suínos e de leite.

Ouça a matéria

O prefeito Sandro Ranieri Herrmann concedeu entrevista ao Programa Realidade da Rádio do Vale e relatou que os produtores estão esgotados mentalmente. Isso reflete em iniciativas como de uma série de agricultores do município que protestou enfrente à sede da RGE na semana passada, derramando leite azedo na fachada do prédio da empresa.

Fotos: Luan dos Santos

Mesmo após as reuniões e cobranças do Ministério Público, nesta semana o interior de Colinas voltou a ter problemas no abastecimento de energia elétrica. Houve queda de poste de madeira em Linha Wolf, prejudicando o fornecimento. Nesta quarta-feira (26), houve a queda de uma chave e o restabelecimento do serviço ainda não havia sido feito quase um dia depois, apesar de ser considerado um trabalho simples para a concessionária.

Sandro Ranieri Herrmann informou que a agência reguladora chegou a autuar a RGE em 2020, mas afirmou que isso não basta. A expectativa é pela melhora na prestação de serviço, para evitar mais prejuízos aos produtores rurais. GL

Governo do Estado falha na primeira tentativa de privatização da Corsan

0
Foto: divulgação

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul adiou o processo de leilão da Companhia Riograndense de Saneamento, a Corsan. A alegação é que não houve interesse do mercado financeiro, devido às exigências que constam no contrato de privatização. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgoto do Estado do Rio Grande do Sul, o Sindiágua, Arilson Wünsch, concedeu entrevista ao Programa Encontro Maior da Rádio do Vale e afirmou que a justificativa apresentada foi uma forma encontrada pelo Governador Eduardo Leite para minimizar o fracasso do procedimento. Ele ressaltou que uma série de inseguranças, pela falta de adesão dos prefeitos ao aditivo contratual, e possíveis irregularidades apuradas pelo Tribunal de Contas, foram os reais motivos do adiamento do processo de privatização.

Ouça a entrevista

O aditivo contratual foi assinado por poucos municípios do Estado. No Vale do Taquari, apenas Estrela e Bom Retiro do Sul aderiram. Entre as mudanças, estava a tarifa social, que continuaria beneficiando famílias de baixa renda. No entanto, a empresa que assumisse o fornecimento de água e o saneamento básico não arcaria com o prejuízo. Possivelmente as prefeituras passariam a bancar a conta destes consumidores.

A oferta das ações da Corsan ocorreria em fevereiro. Não foi definida nova data para a realização do processo. GL

Estrela divulga novas etapas da campanha de vacinação contra a covid-19

0

A Secretaria da Saúde de Estrela divulgou o cronograma de vacinação contra a covid-19 para os próximos dias. Nesta quarta-feira (26) o público em geral poderá se vacinar na UBS Central, das 8h às 11h, quando serão oferecidas as três doses. A primeira dose está disponível a todos os maiores de 12 anos. A segunda dose será aplicada a todos os que estão em atraso com os imunizantes da AstraZeneca, CoronaVac e da Pfizer.

Também no caso da Pfizer, está agendada a segunda dose para quem fez a primeira até 28 de novembro de 2021. Já a dose de reforço – AstraZeneca, CoronaVac e da Pfizer – segue com a ampliação diária do público-alvo, já dentro do intervalo reduzido de quatro meses, para os vacinados até 27 de setembro do ano passado.

Na sexta-feira (28) a imunização será exclusiva à dose de reforço da Janssen, das 8h às 11h, no Posto Central. A vacinação começa no sábado (29), na UBS Central, das 8h às 12h, para crianças entre 5 e 11 anos que possuam comorbidade.

Estrela registra até o momento 27.013 pessoas acima dos 12 anos vacinadas com a primeira dose, de um total estimado de 27.700 a serem imunizadas, o que equivale a 97.5% do público-alvo. O número de vacinados com duas doses é 25.950 habitantes (93,5%). A dose de reforço já foi aplicada a 8.831 estrelenses (31,8%).

Deputado Edegar Pretto faz intermediação com agricultores e MP para solução da falta de luz

0
Foto: Camila Domingues

Na manha desta terça-feira (25) o deputado estadual Edegar Pretto (PT) participou do programa Encontro Maior, na Rádio no Vale AM 820. Durante a semana em audiência, o procurador-geral de Justiça, Marcelo Dornelles, deu 30 dias para que a RGE apresente um plano de investimentos. Na terça-feira (18), um grupo de agricultores protestou jogando leite azedo na porta da concessionária de energia, em Lajeado.

A grave situação da estiagem em municípios gaúchos foi agravada esta semana com a falta de energia elétrica na área de concessão da RGE, em locais do Vale do Taquari. A constante falta de luz motivou uma reunião solicitada pelo deputado estadual Edegar Pretto (PT) ao procurador-geral de Justiça do RS, Marcelo Dornelles. O encontro ocorreu nesta quinta-feira (20) no Ministério Público, em Porto Alegre.

No encontro, com participação de agricultores e representantes da RGE, da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs), do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat) e da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), foram relatados os problemas de fornecimento de energia por parte da concessionária e as perdas das famílias que vivem no campo.

Produtores rurais, em especial nas pequenas propriedades que produzem leite, frangos e suínos, dependem somente da energia que chega pelos fios de luz, e na maioria não possuem condições financeiras de arcar com um gerador. Em época de instabilidade do setor elétrico e atividades climáticas, como a estiagem, algumas horas sem refrigeração e sem ventilação já azeda o leite e causa a morte dos animais, com perda de produtos e prejuízos financeiros. Isso porque, é indispensável o uso da energia elétrica para o armazenamento desses produtos.

O procurador-geral de Justiça, Marcelo Dornelles, diz que a reunião oportuniza o debate do assunto, para que haja solução aos problemas. Dornelles disse que diante de todos os relatos e documentos, fica nítido que a empresa não está atendendo direito aos consumidores na região, mesmo com os investimentos que a RGE afirma estar fazendo.

O procurador questionou o gerente de serviços comerciais que representou a empresa na reunião a respeito dos compromissos da concessionária em estratégias de prevenção e atendimento em áreas rurais. Ao final, definiu um prazo de 30 dias para que a RGE apresente ao Ministério Público um plano de investimento e soluções. O encontro ficou marcado para o dia 21 de fevereiro na sede do MP, em Porto Alegre.

Edegar Pretto destacou que o problema ganhou repercussão no estado a partir do vídeo de um grupo de agricultores de Colinas, que indignados despejaram um balde de leite azedo na porta da sede da empresa, em Lajeado. O fato ocorreu na terça-feira (18), quando localidades estavam há mais de 30 horas sem energia, e já contabilizavam perdas na produção de leite e criação de frangos.

“Estive em municípios do Vale do Taquari para tratar do tema da estiagem. As angústias na região se dividem entre a falta de água e a falta de luz. O que a empresa RGE está fazendo não está sendo suficiente para atender a área de concessão. O Vale do Taquari é a terceira bacia leiteira do estado, e a luz é fundamental para o trabalho e produção no campo e na cidade”, afirma o deputado.

Pretto ainda lembrou que o tema da falta de energia não é novidade, e que na Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa, onde é presidente, há constantes reclamações sobre o serviço prestado pela RGE. Segundo ele, a reunião com o Ministério Público tem objetivo de buscar solução ao problema recorrente, e tratar das possibilidades de elaboração de protocolos de compromissos da empresa, que evitem as interrupções no fornecimento de energia.

“Todos os caminhos do diálogo já foram percorridos mais de uma vez, e esperamos que haja uma solução imediata”, declarou.

Como o trabalho diário funciona por meio de eletricidade, a falta de energia pode oferecer altos riscos para os agricultores. É o caso de Aline Taís Meyring Lohmann, de Colinas. Ela é a agricultora que aparece no vídeo derramando leite na porta da empresa em Lajeado. Durante a reunião, os participantes destacaram a ação dela como ‘um ato de coragem e desespero’, pela perda que as famílias estão enfrentando na região.

Aline contou que a falta de luz afeta diretamente a produção de suínos e leite, em sua propriedade. Disse que as vacas ficam dentro de locais que precisam de ventilação para produzirem leite. Informou que a família investiu cerca de R$ 2 milhões na propriedade, em um sistema de ordenha robotizada.

“Aí bateu aquele desespero, porque eu fiz todo esse investimento e as coisas não mudam. Eles prometem mudança e não acontece. Pensei num ato, não para chamar a atenção do povo, mas chamar a atenção da empresa. Era um pedido de socorro, e eu queria que eles atendessem realmente e vissem que a gente estava precisando de mudança e não de promessas”, relata.

Segundo Aline, mais de 20 propriedades ficaram sem energia. Além dos prejuízos com a perda de produtos, ela conta que ainda vai gastar mais para manter um gerador funcionando 24 horas para a ordenha e o resfriamento do leite.

“Eu resfriava o leite até o momento que o leiteiro vinha retirar, mas a ordenha não vai poder parar. Eu fiquei mais de 50 horas sem energia, e se eu deixar o gerador ligado, são 18 litros de combustível por hora. Imagina quanto eu vou ter de despesa só no diesel, e a conta de luz vai vencer igual e o valor vai ser o mesmo. Esse problema já acontece há muito tempo na região, já ficamos até 96 horas sem luz, e nos últimos dez dias, nós ficamos quatro sem luz. Então é recorrente, e recuperar tudo isso é muito difícil”, lamenta.

O que diz a RGE

Fábio Calvo, gerente de serviços comerciais, disse que a empresa tem feito investimentos expressivos na sua área de concessão, para modernização das redes e troca de postes. Segundo ele, na região do Vale do Taquari a empresa tem investido também em áreas rurais. O gerente disse também que a empresa prevê mais investimentos em manutenção. Sobre o temporal que atingiu a região do Vale do Taquari, relatou que mais de 17 mil clientes tiveram problemas com falta de luz, e informou que somente cerca de 5% não tiveram atendimento em 24 horas.

Sandro Herrmann, prefeito de Colinas e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), informou que já teve várias reuniões com a RGE, e que o problema é recorrente. O presidente alerta que o problema chegou num momento que está inviabilizando as propriedades rurais.

“A empresa precisa melhorar os seus serviços. Existem alguns municípios que são atendidos por cooperativas, e o serviço é completamente diferenciado. Há uma reestruturação de redes, há um atendimento mais imediato nas ocorrências. Então quer dizer que é possível, por isso temos que pressionar os órgãos que fazem a regulação desses contratos com a RGE. A gente quer dar oportunidades e condições para as pessoas poderem produzir e sustentarem as suas famílias”, avalia.

Educação técnica é voltada ao saber fazer, e forma profissionais proativos, destaca coordenador do Colégio Teutônia

0

A educação profissional e os cursos técnicos ofertados pelo Colégio Teutônia pautaram a conversa com o coordenador de cursos na instituição Mauro Régis de Oliveira no programa Encontro Maior desta terça-feira (25). Ele coordena as formações profissionais em Administração, Eletrotécnica e Eletromecânica. Esses cursos, mais o de Agropecuária, estão com inscrições abertas na escola teutoniense pelo site www.colegioteutonia.com.br. As aulas neste ano de 2022 começam em 21 de fevereiro.

Oliveira destaca que a educação profissional forma jovens e adultos qualificados para o mercado de trabalho, e esse é um compromisso que o Colégio Teutônia tem desde a sua origem, há 70 anos. A instituição nasceu para qualificar os filhos dos agricultores, recorda.

Para o coordenador, uma formação técnica muda o projeto de vida dos estudantes. Ao se qualificarem, eles têm uma empregabilidade maior, com mais facilidade de galgar postos de emprego e dar sequência nos estudos em uma universidade, por exemplo.

Entre os diferenciais, um curso técnico é mais breve em matéria de duração, com investimento financeiro que chega a um quinto de um curso de Ensino Superior.

“A educação profissional é voltada para o saber fazer”, afirma Oliveira. “Muitas empresas preferem selecionar pessoas que vêm de um curso técnico por essa característica do saber fazer. Por essa característica, é um profissional que tem uma atitude mais proativa”, nota.

Conheça cada um dos cursos do Colégio Teutônia. Leia mais sobre AgropecuáriaAdministraçãoEletrotécnica e Eletromecânica. A escola fica localizada na Rua Asido Dreyer, 1285, no Bairro Teutônia.

A Bíblia de Lutero

0
Foto: divulgação

Ouça o oitavo capítulo

O Programa Encontro Maior da Rádio do Vale reproduz às sextas-feiras o quadro “Minutos com Lutero”. Produzido pela Associação Luterana Herdeiros de Worms e apresentado por Marcos Carneiro, o oitavo capítulo trata da tradução do novo testamento para o alemão. Também aborda a famosa dieta de Worms.

Elena da Padilha atende ouvintes da Rádio do Vale

0
Foto: Luan dos Santos

Ouça a participação

O ouvinte da Rádio do Vale pode acompanhar a participação da vidente e umbandista Elena da Padilha, que respondeu perguntas dos ouvintes na manhã desta quinta-feira. As perguntas podem ser encaminhadas por ligação para o 3712-1259 ou por WhatsApp para o 9 9891-0820. Lembrando que são necessárias as informações completas de nome, bairro e cidade onde reside, data de nascimento, a pergunta e um nome fictício, para que a Elena da Padilha não lhe identifique no ar.

O amor é o tema do quadro “Minutos com Lutero”

0
Foto: divulgação

O Programa Encontro Maior da Rádio do Vale reproduz às sextas-feiras o quadro “Minutos com Lutero”. Produzido pela Associação Luterana Herdeiros de Worms e apresentado por Marcos Carneiro, o sétimo capítulo trata do amor na visão do evangelho e faz uma reflexão sobre o que é ou não tolerável para quem busca seguir a palavra.

OUÇA O SÉTIMO CAPÍTULO

Grupo de amigos realiza “Vakinha Online” para ajudar família de agricultores

0

A solidariedade mais uma vez foi protagonista após os estragos causados pelo vendaval do último dia 2 de Janeiro um grupo de amigos moradores do interior de Estrela e Bom Retiro do Sul, resolveu se mobilizar e juntar dinheiro para ajudar uma família de Produtores Rurais e perdeu um galpão inteiro destruído pelos fortes ventos. Duas vacas foram perdidas, sendo que o restante dos animais que eram obrigados pela estrutura conseguiram escapar, sem contar as que ainda correm risco de vida.

Ao chegar na propriedade já era possível a larga distância, ver as telhas de zinco espalhadas pelo porteiro tamanha força do vento.

Além disso parte do grupo de amigos imediatamente quando soube da destruição foi pessoalmente ajudar a remover materiais, abrir acessos e buscar verificar o que poderia ser salvo.

Tendo em vista esta situação, Rafael Collett, produtor de linha Delfina em Estrela resolveu dar a ideia de angariar recursos financeiros para ajudar a família Klafke, que teve um prejuízo estimado em mais de R$ 500 mil. ” estava pensando em algumas ideias e surgiu a ideia de fazer uma vaquinha de juntar dinheiro, falei para o grupo e fizeram através do site”, explica Collett.

Carine Luísa Werle, moradora da linha São João, foi a pessoa que fez o cadastro no site Vakinha Online, que é exclusivamente destinado para esse tipo de ação aonde as pessoas podem doar através de um link que a disponibilizado e compartilhado nas redes sociais. “Moramos nas redondezas e sabemos como é a lida de produtor de leite e de agricultores, sabemos como é sofrido para construir e especialmente ver tudo destruído em poucos minutos nós tivemos vento em outras propriedades que também destruíram um pouco, inclusive aqui em casa, mas vendo o prejuízo e a maneira com que aconteceu na propriedade deles resolvemos tomar essa atitude”, explica a Carine.

Os primeiros 10 dias de ação cerca de R$ 2300,00 já haviam sido arrecadados.

Como ajudar

A o link da vakinha on-line para quem quiser doar algum valor para construir um novo galpão, pode ser acessado clicando aqui (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-a-familia-klafke).

Para doações em depósito bancário os dados são:

Nome: Eliane da Silva Oliveira Klafke
Banco Sicredi
Conta corrente: 45502-4
Agência: 0119

Texto: Júlio César Lenhard

Casal de agricultores Rudinei Luis Klafke e Eliane Klafke, moradores de Linha São João, interior de Estrela (Foto: Caroline Silva)
Galpão foi totalmente destruído e telhas de zinco se espalharam em larga distância pela propriedade (Foto: Caroline Silva)
UM DOS IDEALIZADORES, RAFAEL COLLET, EXPLICA COMO SURGIU A AÇÃO
CARINE WERLE INTEGRA O GRUPO E DÁ DETALHES DE COMO AJUDAR

Falecimentos